Você está em
Você está em  

Hermes Pardini - Medicina, saúde e bem-estar

Criança de 1 a 16 anos

Crianças de 1 a 16 anos


O processo de prevenção de doenças é contínuo: até os 16 anos, além de tomar as doses de reforço das vacinas iniciadas antes do primeiro ano, a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) indica a aplicação das vacinas de varicela, hepatite A e reforço das vacinas meningocócica C, triviral, difteria, tétano, coqueluche e pólio inativada.

 

Veja a seguir tabela com o calendário de vacinação até os 16 anos de idade e, logo abaixo, clique em cada uma das vacinas para mais detalhes.

 

 

Observações

 

1) Crianças menores de 5 anos de idade devem receber a vacina oral contra a Poliomielite nos Dias Nacionais de Vacinação após terem recebido duas doses da vacina inativada.

2) Respeitando-se a sazonalidade da vacina e da doença, a partir dos seis meses de idade.

3) Recomendam-se duas doses de Varicela, podendo a segunda dose ser com Tetraviral.

4) O esquema é composto por três doses com intervalo de 6 meses entre as doses, apenas para infectados anteriormente pelo vírus da Dengue.

Indicação
Indicada para prevenção de gastroenterites (formas graves de diarreia) causadas por rotavírus.

 

Esquema vacinal
Três doses com intervalo de dois meses (desejável), podendo ser aplicada com no mínimo 30 dias entre as doses.
ATENÇÃO: limite de idade para a primeira dose: 6 a 15 semanas (1 mês e 15 dias a 3 meses e 15 dias). Última dose até 8 meses de idade.

 

Eventos adversos
Foram associados temporalmente: mal-estar, vômitos, náuseas, perda de apetite, neuropatia e eritema multiforme. Febre, dor, vermelhidão e inchaço local, podem ocorrer.
Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo.

 

Importante
Caso a criança regurgite NÃO se repete a dose. Pode ser aplicada simultaneamente e a qualquer intervalo com outras vacinas.

 

Contraindicações
Anafilaxia aos componentes da vacina; doenças febris agudas; gravidez (por ausência de estudos). Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas.

 

Observação
Não se deve intercalar com a vacina rotavírus monovalente GSK, salvo não havendo alternativa.

Indicação
Proteção contra rubéola, sarampo e caxumba.
 
Esquema de aplicação
Aplicada a partir de 12 meses de idade; uma segunda dose deve ser aplicada entre 2 e 4 anos de idade. Adolescentes não vacinados devem receber duas doses. Adultos, em viagem para o exterior, sem registro de vacinação, devem ser vacinados.
 
Eventos adversos
Em geral, entre 3 e 12 dias após a vacinação, podem ocorrer dor e edema locais, febre, manchas vermelhas, edema, vermelhidão e calor nas articulações. Raramente: encefalite, pancreatite, orquite, púrpura e parotidite.
 
Contraindicações
Anafilaxia aos componentes da vacina (inclusive neomicina e gelatina); gestação; imunodeprimidos; uso de corticosteroides por via oral ou parenteral, por mais de duas semanas em doses correspondentes a 2mg/kg/dia ou 20mg/dia de prednisona; doenças febris agudas; pessoas submetidas a tratamento com derivados do sangue (consultar equipe técnica), quimioterapia e radioterapia nos últimos 3 meses. Após transplante de medula óssea deve-se aguardar de 1 a 2 anos para aplicação da vacina. É recomendado evitar-se gestação por 30 dias após a aplicação. História clínica de sarampo, caxumba ou rubéola não é contraindicação à vacina. A vacinação no mesmo dia com a vacina contra a febre amarela deve ser evitada em crianças, intervalando no mínimo 30 dias. Se não for aplicada no mesmo dia que a vacina contra Varicela, deve se respeitar 30 dias de intervalo entre as mesmas. Pode ser aplicada simultaneamente a qualquer outra vacina.
 

Indicação
Protege contra a "catapora" (causada pelo vírus da Varicela-zoster).
 
Esquema de aplicação
Aplicada a partir de 12 meses de idade. A Sociedade Brasileira de Imunizações e a SBP indicam um reforço entre 2 e 4 anos de idade. Nas crianças em que for aplicada a 1ª dose com mais de dois anos de idade ou nas que se deseja antecipar a segunda dose, o reforço deve ser administrado três meses após a 1ª dose. A vacina do fabricante GSK pode ser aplicada em crianças a partir de 9 meses de idade, mediante pedido médico ou sob orientação médica, repetindo-se a dose com 12 meses e mantendo-se o reforço entre 2 e 4 anos. A partir de 13 anos de idade são aplicadas duas doses com intervalo mínimo de um mês. Até 72 horas após contato com portador do vírus (para alguns até cinco dias), a vacina pode evitar a doença.
 
Eventos adversos
Dor, vermelhidão e inchaço no local. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo. Após 5 a 7 dias, podem ocorrer: febre baixa, por 2 a 3 dias, e manchas vermelhas (2% dos casos). Cerca de 3% dos vacinados podem apresentar algumas vesículas, principalmente próximas ao local de aplicação.
 
Contra indicações
Anafilaxia aos componentes; gestação; imunodeprimidos; uso de corticoide por mais de 15 dias (>2mg/kg/dia ou 20mg/dia de prednisona); doenças febris agudas; tratamento com derivados do sangue (consultar equipe técnica), quimioterapia e radioterapia nos últimos 3 meses. Deve-se evitar gestação por 30 dias e uso de ácido acetilsalicílico (AAS) por 6 semanas após a vacinação. Pode ser aplicada simultaneamente a qualquer vacina. Caso não sejam aplicadas no mesmo dia, intervalar 30 dias da vacina contra febre amarela e tríplice viral.
 

Indicação
DTPa: Proteção contra difteria, tétano e coqueluche para menores de sete anos de idade. DTPa-IPV: Vacinação de reforço contra difteria, tétano, coqueluche e poliomielite para maiores de 3 anos de idade.
 
Esquema de aplicação
DTPa:  2, 4, 6 e 15 meses de vida. Reforço entre 4 e 6 anos de idade. Manter reforço de 10/10 anos com dT (Dupla tipo adulto) ou, idealmente, com dTpa (Tríplice bacteriana acelular). Entre a terceira dose e o primeiro reforço, deve-se respeitar intervalo de 6 meses.
DTPa-IPV: Reforço a partir dos 3 anos de idade. Ideal quando há necessidade de um reforço da vacina tríplice bacteriana e um reforço contra a poliomielite.
 
Eventos adversos
Podem ocorrer febre baixa, dor, calor e inchaço local. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo. Raramente podem ocorrer irritabilidade, sonolência, convulsões febris, febre alta e evento hipotônico hiporresponsivo.
 
Contraindicações
Doença febril aguda; história de reação grave após administração anterior de vacinas DTPa ou Poliomielite; encefalopatia por até 7 dias após vacinação com componente pertussis; Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas. Reações com a vacina de células inteiras (inclusive a Tetravalente do serviço público) não contraindicam a vacinação com a vacina acelular, com exceção das reações graves.
 
Indicação
Crianças a partir de 2 meses de idade até 6 anos de idade incompletos;  para proteção contra formas graves da infecção pneumocócica. Em pacientes especiais, com prescrição médica, pode ser utilizada até 18 anos de idade.
  
Esquema de aplicação
De acordo com a idade de início de vacinação:

- Início de vacinação abaixo de 7 meses: 4 doses, as 3 primeiras doses com intervalo de 2 meses e a  última dose na idade de 15 meses (pode ser aplicada a partir de 12 meses, desde que tenha 2 meses de intervalo da última dose).

- Início de vacinação entre 7 e 11 meses de idade: 3 doses, as duas primeiras com intervalo de 2 meses e a última na idade de 15 meses (pode ser aplicada a partir de 12 meses, desde que tenha 2 meses de intervalo da última dose).

- Início de vacinação de 12 a 23 meses de idade: 2 doses com intervalo de 2 meses.

- Início de vacinação acima de 24 meses: dose única.
OBS: Crianças previamente vacinadas com outras vacinas conjugadas (Prevenar, Pneumocócica 10- valente), podem receber uma dose suplementar de Pneumo 13-valente.

- Crianças que iniciaram esquema com Prevenar /Pneumo 10-valente podem continuar o esquema com a Pneumo 13-valente (sempre com orientação verbal ou prescrição do médico).

- Adultos portadores de doenças imunossupressoras devem receber uma dose Pneumo 13-valente e uma dose de Pneumo 23, sob orientação médica e prescrição.
 
Eventos adversos
Pode ocorrer febre, calor e inchaço no local da aplicação. Teoricamente, pode estar associada à convulsão febril. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo.
 
Contraindicação
Anafilaxia aos componentes da vacina (inclusive ao látex e proteína diftérica); doença febril aguda.  Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas.
 
Indicação
Proteção para crianças acima de 2 meses, adolescentes e adultos contra o meningococo do sorogrupo C.
 
Composição
Polissacarídeos capsulares do meningococo C conjugados à toxina diftérica modificada (Pfizer e Novartis) ou ao toxoide tetânico (Baxter). Contém Alumínio. Eficácia aproximada de 92%.
 
Fabricantes
Pfizer, Baxter, Novartis.
 
Via de administração
Intramuscular.
 
Esquema de aplicação
Vacina indicada de rotina pela SBP a partir dos 2 meses de idade.
Entre 2 a 12 meses de idade: duas doses com intervalo de 2 meses entre as doses. Reforço após um ano de idade. Vacinação iniciada entre 10 e 11 meses não fazer reforço.
Maiores de 12 meses de idade: dose única. A Sociedade Brasileira de Imunização recomenda um reforço aos 5 anos de idade.
 
Eventos adversos
Podem ocorrer eritema e dor local, febre, irritabilidade. Diarréia, vômitos e anorexia foram associados temporalmente. Ocasionalmente, forma-se nódulo subcutâneo.
 
Contraindicações
Passado de reação alérgica intensa à dose anterior da vacina; doença febril aguda; gravidez (dependendo da situação epidemiológica). Pode ser aplicada simultaneamente ou a qualquer intervalo de outras vacinas.
 
Conservação
Entre +2ºC e +8ºC. Não congelar.
 

Central de Relacionamento com o Cliente e Atendimento domiciliar:

(31) 3228-6200

VOZ

Seg a sex - 7h às 19h

Sáb e feriados - 7h às 18h

Dom - 7h às 13h

 

Whatsapp:

Análises clínicas, vacinas, diagnóstico por imagem e consultas médicas:

(31) 3228-6200

Seg a sex - 8h às 18h

Feriados - 8h às 14h

 Central de Apoio a Parceiros:

www.mypardini.com.br

Novidades

Receba as novidades do Hermes Pardini no seu email.